quarta-feira, 17 de outubro de 2012

AUDITORIA HOSPITALAR - 03


O termo auditoria é utilizado em conexão com ampla gama de atividade.

Segundo o Report of the Committe on Basic Auditing Consepts of American Accountin Association (Accounting Review, v.47)

Auditoria é um processo sistemático de obtenção e avaliação objetivas de evidências sobre afirmações a respeito de ações e eventos econômicos, para aquilatação do grau de correspondência entre as afirmações e critérios estabelecidos, e de comunicação dos resultados a usuários interessados.

Sendo vista, atualmente, como um instrumento de controle administrativo, que se destaca como ponto de convergência de todos os efeitos, fatos e informações originados dos diversos seguimentos de uma empresa, a contabilidade mantém estreitas conexões com os modernos sistemas de auditoria, cuja finalidade é avaliar as informações contábeis, no sentido de que sejam confiáveis, adequadas, totais e seguras.

Motta (1992, p.15) define auditoria como sendo o exame científico e sistemático dos livros, contas, comprovantes e outros registros financeiros de uma companhia, com o propósito de determinar a integridade do sistema de controle interno contábil, bem como o resultado das operações e assessorar a companhia no aprimoramento dos controles internos, contábeis e administrativos.

Conseguintemente, a execução de uma auditoria não se prende somente aos fatores sob controle da contabilidade, estendendo-se necessariamente aos diversos seguimentos da empresa que geram dados para a contabilidade, assim como aos fatores externos que, de alguma forma, os influenciam. Em uma auditoria que tenha por objetivo expressar uma opinião sobre as demonstrações financeiras, o trabalho de auditoria converge, portanto, a todos os seguimentos da empresa que possam influir e gerar dados para as demonstrações financeiras em exame.

Para Willian (1998, p.25), a auditoria é uma especialidade contábil voltada a testar a eficiência e eficácia do controle patrimonial implantado com o objetivo de expressar uma opinião sobre determinado dado.

A Auditoria pode ser entendida como um processo de investigação sistemático, em que são obtidas e analisadas evidencias que permitam ao auditor pronunciar-se sobre a conformidade de uma situação vigente com os critérios de comparação selecionados e comunicar os resultados aos usuários interessados.

Auditoria Interna

A Auditoria interna é uma atividade em franco desenvolvimento e de grande importância para a administração de uma companhia. ...” é verdade que a existência de uma auditoria interna eficiente e atuante é considerada como um ponto forte de controle interno”. (WILLIAM, 1988, p.52).

Às vezes imagina-se ser o controle interno sinônimo de auditoria interna. É uma idéia totalmente equivocada, pois a auditoria interna equivale a um trabalho organizado de revisão e apreciação dos controles internos, normalmente executados por um departamento especializado, ao passo que o controle interno se refere a procedimentos de organização adotados como planos permanentes da empresa. . (WILLIAM, 1988, p.110)

A importância que a auditoria interna tem em suas atividades de trabalho serve para a administração como meio de certificação que todos os procedimentos internos e políticas definidas pela companhia, os sistemas contábeis e de controle interno estão sendo efetivamente seguidos, e todas as transações realizadas estão refletidas contabilmente em concordância com os critérios previamente definidos.

Para Cavalcanti (1996, p.25) a administração da empresa, com a expansão dos negócios, sentiu a necessidade de dar maior ênfase às normas ou aos procedimentos internos, devido ao fato de que o administrador não poderia supervisionar pessoalmente todas as suas atividades. Entretanto, de nada valia a implantação desses procedimentos internos sem que houvesse um acompanhamento, no sentido de verificar se eles estavam sendo seguidos pelos empregados da empresa.

A auditoria interna é uma atividade de avaliação independente dentro da Companhia, que se destina a revisar as operações, como um serviço prestado à administração. Constitui um controle gerencial que funciona através de análise e avaliação da eficácia de outros controles.

Os objetivos da auditoria interna segundo The Institute of Internl Auditors, Inc-IIA são auxiliares a todos os membros da administração no desempenho de suas funções e responsabilidades, fornecendo-lhes análises, apreciações, recomendações e comentários pertinentes às atividades examinadas. Fundamentar seu ponto de vista com fatos, evidencias e informações possíveis necessárias e materiais.

De acordo com Martinelli (2002) o auditor interno interessa-se por qualquer fase das atividades do negócio em que possa ser útil à administração. Isto pressupõe sua incursão em campos além dos de contabilidade e finanças, a fim de obter uma visão completa das operações submetidas a exame. O entendimento desses objetivos globais envolve atividades, como: (a) revisão e avaliação da correção, adequação e aplicação de controles contábeis, financeiros e outros de natureza operacional, proporcionando controles eficazes a custo razoável; (b) determinação do grau de entendimento das diretrizes e procedimentos estabelecidos; (d) determinação do grau de controle dos ativos da Companhia quanto à proteção de perdas de qualquer tipo; (e) determinação da fidelidade dos dados administrativos originados na própria Companhia; (f) avaliação da qualidade de desempenho na execução de tarefas atribuídas;

Cavalcanti (1996, p.30), destaca os principais objetivos do auditor interno que são: verificar se as normas internas estão sendo seguidas; verificar a necessidade de aprimorar as normas internas vigentes; verificar a necessidade de novas normas internas; efetuar auditoria das diversas áreas das demonstrações contábeis e em áreas operacionais.

De acordo com Martinelli destaca-se que as responsabilidades da auditoria interna nas organizações devem ser claramente determinadas pelas políticas da Companhia. A autoridade correspondente deve propiciar ao auditor interno livre acesso a todos os registros, propriedades e pessoal da Companhia que possam vir a ter importância para o assunto em exame. O auditor interno deve sentir-se à vontade para revisar e avaliar diretrizes, planos, procedimentos e registros.

Também destaca as responsabilidades do auditor interno que devem ser: informar e assessorar a administração e desincumbir-se dessa responsabilidade de maneira condizente com a ética; coordenar suas atividades com a de outros, de modo a atingir, com mais facilidades os objetivos da auditoria em beneficio das atividades da Companhia.

Martinelli salienta que a independência é essencial para a eficácia da auditoria interna. Esta independência se obtém, primordialmente, através do posicionamento na estrutura organizacional e da objetividade, o posicionamento da função da auditoria interna na estrutura organizacional e o apoio dado a esta função pela administração, são os principais determinantes de sua amplitude e valor. O responsável pelas atividades de auditoria interna deve, portanto, trabalhar tanto para assegurar uma ampla cobertura de auditoria interna, como para garantir a tomada de ações efetivas, com respeito aos assuntos levantados e recomendações efetuadas.

A objetividade é essencial à função de auditoria. Um auditor interno não deve, portanto, desenvolver e implantar procedimentos, preparar registros ou envolver-se em qualquer outra atividade que poderá vir normalmente a examinar e analisar e que venha a constituir empecilho à manutenção de sua independência.

Nos dias de hoje, compete a Auditoria a difícil tarefa de manter equiparada a relação custo/beneficio na assistência médica, ou em outras palavras, tentar oferecer uma assistência médica de boa qualidade dentro de um custo compatível com os recursos financeiros disponíveis.

Como não poderia deixar de ser, em qualquer atividade que envolva recursos financeiros e inter-relações humanas, surgiram conflitos na execução da auditoria medica. Os interesses dos sistemas, dos médicos prestadores de serviços, dos médicos auditores, principalmente, e dos pacientes são frequentemente conflitantes.  Alem desse conflito de interesses, a auditoria tem que ser exercida à luz da ética médica, já que o exercício profissional esta em jogo tanto para auditores quanto auditados.

A auditoria hospitalar é uma atividade de avaliação independente e de assessoramento na administração de planos de saúde, voltada para o exame e análise da adequação, eficácia, economicidade e qualidade de prestadores de serviços de saúde, com observância de preceitos éticos e legais tais como: promover processo educativo com vistas à melhoria da qualidade do atendimento; divulgar e incentivar a ética médica.

O objetivo da auditoria é garantir a qualidade da assistência médica prestada e o respeito às normas técnicas, éticas e administrativas, previamente estabelecidas.

A auditoria médica é Ato Médico, e sua prática deve seguir os preceitos globais relativos à prática médica.

Para que o auditor possa executar seu trabalho, deverá levar em consideração alguns princípios tais como: (a) autonomia e Independência; (b) soberania; (c) imparcialidade; (d) objetividade; (e) conhecimento técnico; (f) capacidade profissional; (g) atualização dos conhecimentos técnicos; (h) cautela profissional; (i) zelo profissional; (j) comportamento ético; (1) sigilo e discrição.

 
 
Auditor segue alguns passos na execução do trabalho. (a) identificação: ao iniciar suas tarefas, deverá identificar-se perante a direção do mais elevado nível da Entidade a ser auditada – Diretor Clinico, segundo CFM 1614, expondo-lhe o objeto de sua missão; (b) apresentação: o auditor deverá trajar-se de forma adequada ao exercício de suas funções e, no momento da auditoria, se apresentar às pessoas envolvidas com o auditado (equipe médica, enfermagem, administrativos da instituição, pacientes e seus familiares).

O perfil desejado para o Auditor, seus deveres, ou as atribuições da auditoria como também atribuições do auditor são: bom senso; conhecimentos técnicos; também fazem parte das qualidades ideais para o cargo de auditor: senso de equipe; ética; comunicação; criatividade; autoridade e imparcialidade para exercer suas funções; respeito às normas da empresa que trabalha; responsabilidade; conhecimentos técnicos; conhecimentos de regulamentação de cada comprador de serviços; conhecimentos dos contratos e tabelas negociados entre as Instituições de Saúde e os compradores de serviços de saúde.

Seus deveres resumem-se a garantia da qualidade de atendimento ao usuário e isenção. Seguem algumas atribuições da Auditoria: efetuar visitas técnicas a redes hospitalares e sede dos convênios; analisar prontuário médico, observando os exames, medicação prescrita e a evolução do caso; analise da necessidade de permanência do paciente em regime de internação; manter contato com o médico assistente para maior conhecimento do caso; apoiar o médico assistente nas suas diversas necessidades em relação a pareceres, exames especializados; adequar, quando necessário, a melhor unidade hospitalar ao tipo de assistência que o paciente necessite.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário